HPV

HPV

É um vírus capaz de provocar lesões de pele ou mucosa, sendo mais comum na região genital (vagina, colo do útero, pênis e ânus)
Existem mais de 200 tipos de HPV, sendo que aqueles de alto risco provocam lesões no colo do útero, que se não diagnosticadas precocemente podem evoluir para o Câncer do Colo do Útero.
Estima-se que 99,7% dos casos de câncer do colo do útero são causados por estes tipos de HPV.
No Brasil, a cada ano, ocorrem cerca de 16.000 novos casos e 5.000 mortes.

Transmissão:
O HPV é altamente contagioso, sendo possível contaminar-se com uma única exposição ao vírus. Pessoas infectadas podem não apresentar lesões visíveis e transmitir o HPV sem saber.
Apesar da principal via de contágio ser a sexual, estudos recentes mostraram que o HPV pode ser transmitido por meio de simples contato com mão, pele e objetos contaminados. Em casos raros, a mãe pode transmitir para o bebê durante a gravidez e o parto.
O uso de preservativo não protege adequadamente da exposição, já que o preservativo não cobre os tecidos genitais externos ou anal. Porém seu uso é importante, pois pode prevenir outras doenças sexualmente transmissíveis.

Sintomas:
Os sintomas são extremamente variáveis, desde infecções assintomáticas ou inaparentes (maioria dos casos) até o câncer cervical invasivo.
A infecção pelo HPV oncogênico não provoca sintomas no seu estágio inicial, assim como o Câncer do Colo do Útero, razão pela qual os exames regulares são tão importantes.
As mulheres que desenvolvem o Câncer do Colo do Útero apresentam frequentemente um ou mais sintomas: sangramento entre os ciclos menstruais e depois das relações sexuais, fluxos menstruais mais intensos, corrimento de odor desagradável, aumento da frequência urinária, dor nas costas e dor abdominal.

Prevenção:
Vacina HPV
Uso de preservativo também ajuda a reduzir a transmissão, mas não garante a proteção total contra o contágio.
Manter os exames periódicos (Papanicolau) em dia.
O Câncer do Colo do Útero pode ser evitado através da vacinação contra HPV.
Existem dois tipos de vacina: uma indicada para homens dos 9 aos 26 anos e mulheres dos 9 aos 45 anos, e a outra indicada somente para mulheres a partir dos 9 anos de idade.
Esquema padrão de três doses (para todas as idades): a segunda dose um ou dois meses após a primeira (dependendo da vacina), e a terceira seis meses após a primeira.

Dr. Vacina Sorocaba
Dr. Vacina Sorocaba - contato